Iguatemi

Iguatemi

domingo, 29 de março de 2015

Teu lugar na vida


“... Quando fordes convidados para bodas, não tomeis nelas o primeiro lugar, temendo que se encontre entre os convidados uma pessoa mais considerada que vós, e que aquele que vos tiver convidado não venha vos dizer: Dai vosso lugar a este...”

“... todo aquele que se eleva será rebaixado, e todo aquele que se rebaixa será elevado.”


Querendo ilustrar suas prédicas, como sempre de modo claro e compreensível, Jesus de Nazaré considerava, certa ocasião, como os convidados de uma festividade se comportavam precipitadamente, na ânsia de tomar os lugares principais da mesa, com isso desrespeitando os princípios básicos do bom senso e da educação.

Qual o teu lugar à mesa? Qual a tua posição no universo de ti mesmo?

Essa a grande proposta feita pelo Mestre nesta parábola.

Será que o lugar que ocupas hoje é teu mesmo? Ou influências externas te levam a direções antagônicas de acordo com o teu modo de pensar e agir?

Tens escutado a voz da alma, que é Deus em ti, ou escancarado teus ouvidos às opiniões e conceitos dos outros?

Nada pior do que te sentires deslocado na escola, profissão, circulo social ou mesmo entre familiares, porque deixas parentes, amigos, cônjuges e companheiros pensarem por ti, não permitindo que Deus fale contigo pelas vias inspirativas da alma.

Essa inadaptação que sentes é fruto de teu deslocamento íntimo por não acreditares em tuas potencialidades. Achas-te incapaz, não por seres realmente, mas porque te fazes surdo às tuas escolhas e preferências oriundas de tua própria essência.

Se permaneceres nesse comportamento volúvel, apontando frequentemente os outros como responsáveis pela tua inadequação e conflitos, porque não assumes que és uma folha ao vento entre as vontades alheias, te sentirás sempre um solitário, ainda que rodeado por uma multidão.

Porém, se não mais negares sistematicamente que tuas ações são, quase na totalidade, frutos do consenso que fizeste do somatório de conselhos e palpites vários, estarás sendo, a partir desse instante, convidado a sentar no teu real lugar, na mesa da existência.

Por fim, perceberás com maior nitidez quem é que está movimentando tuas decisões e o quanto de participação tens nas tuas opções vivenciais.

No exame da máxima “todo aquele que se eleva será rebaixado e todo aquele que se rebaixa será elevado”, vale considerar que não é a postura de se “dar ares” de humildade ou a de se rebaixar de forma exagerada e humilhante que te poderá levar à conscientização plena da tua localização dentro de ti mesmo.

Sintonizando-te na verdadeira essência da humildade, que é conceituada como “olhar as coisas como elas são realmente”, e percebendo que a tua existência é responsabilidade unicamente tua, é que tu serás tu mesmo.

Ser humilde é auscultar a origem real das coisas, não com os olhos da ilusão, mas com os da realidade, despojando-se da imaginação fantasiosa de uma ótica mental distorcida, nascida naqueles que sempre acham que merecem os “melhores lugares” em tudo.

Vale considerar que, por não estarmos realizando um constante exercício de auto-observação, quase sempre deduzimos ou captamos a realidade até certo ponto e depois concluímos o restante a nosso bel-prazer, criando assim ilusões e expectativas desgastantes que nos descentralizam de nossos objetivos.

Quem encontrou o seu lugar respeita invariavelmente o lugar dos outros, pois divisa a própria fronteira e, consequentemente, não ultrapassa o limite dos outros, colocando na prática o “amor ao próximo”.

Para que encontres o teu lugar, é necessário que tenhas uma “simplicidade lúcida”, e o despojar dos teus enganos e fantasias fará com que encontres a autêntica humildade.

Para que não tenhas que ceder teu lugar a outro, é indispensável que vejas as coisas como elas são realmente e que uses o bom senso como ponto de referência para o teu aprimoramento e para a tua percepção da verdade como um todo. Procura-te em ti mesmo: eis a possibilidade de sempre achares o lugar que te pertence perante a Vida Excelsa.


Livro - Renovando Atitudes - pelo Espírito Hammed - psicografia de Francisco do Espírito Santo Neto.

domingo, 22 de março de 2015

Muitos ensinamentos da vida de Divaldo Franco


A vida de um missionário não é um evento simples, a ser copiado por qualquer um de nós. 

Lendo mais essa biografia de Divaldo Franco, como já li várias de Chico Xavier e outros luminares, fica claro o planejamento que antecede a ação aqui na Terra. Um cortejo de auxiliares invisíveis, estão a todo momento influenciando os encarnados que tem compromisso com o projeto, para que, no momento certo, possam contribuir a fim de que a obra não pare. Mas, o que realmente define tudo é a disposição do seareiro. 

Impressionante, como Divaldo e Chico, assumiram tão jovens, compromissos grandiosos. Mesmo amparados por benfeitores espirituais, as provações foram inúmeras e nem assim desistiram.

A tarefa prossegue, mas, o medianeiro está próximo de retornar para que possa assumir tarefas maiores.

Um relato emocionante!

Água: Líquido Divino


Em comemoração ao dia 22 de março, Dia Mundial da Água, decidi postar algumas informações à luz da Doutrina Espírita, sobre esse líquido divino que está presente em nossas vidas, sem que atentemos para os benefícios que possa nos ofertar. A influência da água sobre nossa vida é fundamental para nossa saúde espiritual.

Na bíblia, encontramos: “No princípio, criou Deus os céus e a terra. Ela estava informe e vazia; as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas”. Tanto no Antigo, quanto no Novo Testamento, há muitas referências sobre a água, esse líquido que nasce no seio da mãe Terra.

Nosso corpo é composto de duas partes de água e uma de elementos diversos. Portanto, a história do homem tem sempre o seu encontro com a água, desde o ventre materno, o líquido essencial para sobreviver, até a hora da preparação do alimento ou hora do banho. Desprezar a água é querer separar-se da vida.

A água assimila muitas substâncias e essências; recebe ao mesmo tempo o açúcar e o sal; impregna-se de todas as cores, sabores e cheiros. Seu principal fenômeno é o da dissolução. Mas, atentemos para o fato de que, a mesma água que sacia, afoga. Que amarga, alimenta. Será nociva nas mãos perversas, útil nas mãos generosas.

O espírito André Luiz, no livro Nosso Lar - capítulo No bosque das águas - informa que, "Na Terra quase ninguém cogita seriamente de conhecer a importância da água. A água é veículo dos mais poderosos para os fluidos de qualquer natureza. Empregada como alimento é remédio, como fluido criador, absorve em cada lar, as características mentais de seus moradores".

Num lar desajustado, o pensamento desequilibrado de seus moradores poderá impregnar a água de fluidos doentios, o que poderá desajustar o campo celular dos que aí residem.

Quando beberdes a água, não vos esqueçais da parcela divina que vibra dentro dela em expressão de luz. Ela guarda no seu aconchego a força que restaura e harmoniza todo o mundo celular, desatando a energia em todos os campos do metabolismo e desobstruindo inumeráveis caminhos no mundo da carne para o desafogo orgânico dos restos imprestáveis para a forma física.

Ao beber, devemos mastigar o liquido, beber os goles sem pressa, deixando que as glândulas da boca selecionem os elementos e canalizem para os lugares indispensáveis à paz do corpo. Mentalize e sentireis o benefício.

No livro - Saúde, o espírito Miramez informa que, a água pura das correntezas de um rio, é festejada pela mansuetude do magnetismo do vento e que, nas grandes cidades, a água viaja por canos impenetráveis pelo ar, o que faz com que perca muito das suas expressões e ensina uma prática dos iogues que ajuda a restituir-lhe a qualidade: Utilizando dois copos, passemos a água de um copo para o outro, fazendo com que ela entre em contato direto com o ar e, então, teremos a água revitalizada.

Os espíritas, tem grande apreço pela água fluidificada que não é senão a água que recebe os eflúvios magnéticos dos planos espirituais através das nossas rogativas sinceras e fervorosas.

A água representa ainda o despertar interior para as coisas do alto, o enlace do homem com Deus, mediante um mergulho nas águas do Espírito.

O japones Masaru Emoto demonstrou cientificamente que a estrutura molecular da água se transforma de acordo com o meio ambiente e vibrações. Durante oito anos submeteu amostras de água a diferentes estímulos: musicais, palavras faladas, preces, fotos...

Veja vídeo - A mensagem da água.




Bibliografia:

Saúde - João Nunes Maia - pelo espírito Miramez

Nosso Lar - Chico Xavier - pelo espírito André Luiz